A educação estadual continua com reinvindicações

O governador Sérgio Cabral sancionou e também vetou nesta terça-feira algumas das emendas referentes às reivindicações dos professores da rede estadual, votadas pelos deputados no início do mês. As emendas rejeitadas não agradaram aos docentes que querem a aprovação de todas as reivindicações. A categoria continua em estado de greve a espera uma resposta dos deputados estaduais. Os professores do Instituto Federal Fluminense(IFF) de todo o norte e noroeste do Estado também continuam com as atividades paralisadas.

O governador sancionou o reajuste de 5% para os 148 mil professores. Já para o pessoal de apoio — merendeira, faxineiros, porteiros e pessoal da secretaria de escolas — vão receber o reajuste de até 116,04%. Outra reivindicação que virou lei foi a garantia de antecipação da incorporação de 2012 das gratificações da Nova Escola retroativo a julho. Em contra partida o governador Cabral vetor o abono dos dias parados durante a greve. Com isso os professores que não repuserem as aulas terão o ponto cortado. Também foi vetado o artigo que determina que os atuais professores deveriam destinar 1/3 da carga horária semanal em planejamentos e 2/3 em sala de aula. As emendas vetadas não agradaram o Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação (Sepe). A diretora do Sepe de Campos, Silvana Nascimento, acredita que os vetos do governador serão debatidos pelos parlamentares.

VISITE SEMPRE: http://fabriciolirio.com.br/ Fonte: Folha da Manhã

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *