Comunicado divulgado acusa o organismo de ter ‘dupla moral’.
País disse que organismo é incapaz de livrar Oriente Médio das armas.

A Arábia Saudita se negou nesta sexta-feira (18) a ocupar uma cadeira temporária no Conselho de Segurança das Nações Unidas e acusou o organismo de ter “dupla moral”.

Segundo um comunicado da chancelaria saudita, Riad “não tem outro remédio a não ser renunciar a integrar o Conselho de Segurança, até que este seja renovado e dotado dos meios necessários para cumprir com suas obrigações e assumir suas responsabilidades, como garantidor da paz e da segurança no mundo”.

Na quinta-feira (17), a Arábia Saudita foi eleita pela primeira vez membro não permanente do Conselho de Segurança de ONU, ao lado de Chile, Chade, Nigéria e Lituânia. O mandato de dois anos começa em 1º de janeiro de 2014.

O ministério saudita das Relações Exteriores considera que o fato de “permitir ao regime sírio matar seu povo e queimá-lo com armas químicas, diante dos olhos do mundo inteiro, e sem sanções dissuasivas, é uma prova clara da impotência do Conselho de Segurança no momento de cumprir com seu dever e assumir suas responsabilidades”.

O comunicado denuncia a “dupla moral” do Conselho de Segurança e destaca que “há 65 anos a questão palestina permanece sem solução”. Também afirma que o organismo é incapaz de livrar o Oriente Médio das armas de destruição em massa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *