Arnaldo Neto
Foto: Michelle Richa

“Hoje é um dia que celebramos o Brasil que dá certo. O Porto do Açu deu certo porque é um projeto que tem fundamentos sólidos. Nossa proximidade com as bacias petrolíferas de Campos e Santos nos dá uma vantagem competitiva importante”. A afirmação é do presidente da Prumo Logística, José Magela Bernardes, ao inaugurar, nessa terça (7), os terminais Multicargas (Tmult), de Petróleo (Toil) e de Combustíveis Marítimos (Tecma) em São João da Barra. Esses terminais, que receberam mais de R$ 1,5 bilhão de investimentos, representam o início de novos negócios no Açu e contam com parcerias com as empresas Oiltanking (no Toil) e BP Marine (no Tecma).

O ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella, participou da cerimônia e falou sobre a importância de investimentos para garantir o acesso ao Porto, seja com rodovias ou ferrovias. O prefeito José Amaro Martins de Souza, Neco (PMDB), aproveitou a presença de parlamentares para pedir apoio para duplicação da BR 356, hoje principal acesso ao Porto. Magela anunciou, ainda, o decreto que oficializa o futuro corredor logístico, que ligará a BR 101 ao Porto.

O Tmult possibilita o acesso direto de clientes instalados na retroárea a um terminal portuário, concretizando o conceito porto-indústria. Com este conceito, o Porto do Açu traz para o Brasil uma solução integrada que visa atender em um único lugar todas as necessidades dos clientes, oferecendo competividade, serviços com qualidade e reduzindo o risco Brasil.

No Tecma é feito a comercialização de combustível marítimo sob a marca BP Marine. Parceria entre a Prumo e a BP, o terminal oferece serviços de abastecimento de combustíveis para embarcações que estiverem no Porto e clientes operando na região.

Já o Toil é uma parceria da Prumo com a alemã Oiltanking que está iniciando suas operações e está licenciado para movimentar 1,2 milhão de barris de petróleo por dia. Este é o único terminal privado no país para operação de transbordo de petróleo. A Shell é a primeira cliente deste terminal, que será operado pela Oiltanking Açu Serviços, subsidiária da empresa alemã. “Nossa expectativa é que no final de julho ou no mês seguinte essas operações possam se iniciar. O projeto do Porto é ambicioso”, afirmou o presidente da Shell no Brasil, André Araujo.

Com Corredor Logístico no DO, luta pela duplicação da BR 356

Com o anúncio da oficialização do Corredor Logístico e a presença de parlamentares, o prefeito Neco aproveitou para pedir o apoio para buscar, em Brasília, a duplicação da BR 356, atualmente principal acesso ao Porto. “Gostaria muito de pedir aos deputados federais que pedissem ao governo a duplicação da BR 356, que liga Campos a São João da Barra. E também a rede ferroviária”, disse Neco.

O prefeito também falou sobre a parceria com as empresas que atuam no Açu para a qualificação da mão de obra local e aproveitamento deste pessoal no complexo do Açu.

A nova capacidade operacional do terminal irá gerar crescimento econômico regional e a estimativa é que no auge de sua operação, o volume do Toil represente um acréscimo de arrecadação de ISS pela municipalidade — na ordem de 10% da atual receita de São João da Barra. “Não tenho dúvidas que com a plena operação do Porto, São João da Barra vai deixar de ser dependente dos royalties”, afirmou Neco.

O deputado federal Júlio Lopes (PP) representou o governo do Estado e garantiu o empenho para buscar tornar realidade o Corredor Logístico.
A prefeita de Campos, Rosinha Garotinho (PR), também participou da inauguração dos terminais no Açu. “Temos 17 anos desde que tudo isso foi sonhado. Algumas pessoas achavam que estávamos delirando. Hoje, este sonho está realizado: o Porto do Açu é uma realidade. Este distrito do município de São João da Barra é mundialmente conhecido”.

O deputado federal Paulo Feijó (PR), o deputado estadual Bruno Dauaire (PR), secretários de Estado e de municípios da região, além de vereadores e empresários também prestigiaram a inauguração dos três terminais.

Até o momento, no Porto do Açu, mais de R$ 13 bilhões foram investidos.

Ministro defende parcerias para retomada do crescimento

A parceria da iniciativa pública e privada foi um dos assuntos mais abordados pelo ministro Maurício Quintella: “Vamos inaugurar um novo momento entre as relações do setor público e do setor privado. Este governo não tem o menor preconceito com o privado. Queremos nos aproximar cada vez mais com o setor privado, estabelecer parcerias necessárias, ser facilitador de novos investimentos que possam ajudar o Brasil a melhorar sua logística, sua infraestrutura, trazer de volta o crescimento, gerar empregos que o Brasil precisa”.

O presidente da Prumo, José Magela Bernardes, também falou sobre parcerias. Magela informou que o Corredor Logístico, que vai ligar a BR 101 ao Açu, já foi oficializado pelo governador em exercício Francisco Dornelles (PP), em decreto publicado na última sexta:

— A visão do Porto do Açu com um vetor para o desenvolvimento da região Norte Fluminense possibilitou que fossemos incluídos em projetos como a ferrovia Rio-Vitória, que irá contar com um ramal até o Porto; a duplicação da BR 101 e o corredor logístico, oficialmente chamado de RJ 244, que irá ligar Campos ao Porto. Isso demonstra que contamos com a parceria dos governos federal, estadual e municipal.

Quintella classificou os investimentos em infraestrutura e logística como as principais metas do governo para incentivar o desenvolvimento do complexo portuário do Açu: “A principal função do setor público neste momento é garantir o acesso ao Porto. O acesso do Porto aos principais centros produtivos e consumidores do país. E para isso estamos abertos no ministério dos Transportes, prontos para fazer o diálogo e os investimentos ou viabilizar com o setor privado em parcerias. Mesmo o Brasil passando por essa fase difícil, aqueles que apostarem no Brasil vão sair ganhando”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *