Reguladora informou que a bebida apresentou uma bactéria.
Infectologista afirma que ela não provoca sintomas em pessoas saudáveis.

dsc_5450

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou, nesta quarta-feira (29), a interdição cautelar, em todo o Brasil, do lote 213238 do produto Água Mineral Natural, da marca Raposo, fabricado pela empresa Hidromineral Fluminense, localizada em Itaperuna.

Segundo a Anvisa, o lote foi produzido no dia 4 de outubro de 2013, com validade até o dia 4 de outubro de 2014. A reguladora informou que a bebida apresentou uma bactéria, conhecida como  Pseudomonas aeruginosa.

De acordo com o infectologista Charbell Kury, essa bactéria é encontrada normalmente na natureza e em pessoas saudáveis não provoca sintomas. “O perigo ocorre em pacientes com baixa imunidade, sobretudo em pessoas gravemente enfermas”, explicou.

Carla Capobiango, química da empresa, explicou que a contaminação da fonte é impossível. Disse ainda que todos os controles exigidos são feitos e que esse é um fato isolado. “O galão onde a água foi coletada pode ter sido mal armazenado. Fazemos a analise de reclassificação da água e em 103 anos em que estamos no mercado, isso nunca aconteceu”, disse.

O proprietário da marca, Hélio Martins Filho, conversou por telefone com a equipe de reportagem do G1 e informou que uma contraprova será encaminhada à Anvisa até o dia 13 de fevereiro. Além disso, garantiu que a produção passa por testes diários de qualidade e que existe um laboratório dentro da empresa, responsável por garantir a qualidade da água. Todo lote teria sido retirado do mercado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *