Informação veio do Disque- Denúncia. Ex-presidente da CPI das Milícias e o secretário de Segurança Pública estão na mira de grupo paramilitar.

O deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL) presidia a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) que investiga o tráfico de armas, munições e explosivos no Estado do Rio de Janeiro foi informado na última terça-feira (25) que uma milícia de Campo Grande, na zona oeste do Rio de Janeiro, planeja um atentado contra ele e o secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame. A ação, que aconteceria ainda esta semana, veio à tona através do Disque-Denúncia.

A Coordenadoria de Inteligência da Polícia Militar, o Ministério Público e o Disque-Denúncia registraram, em pouco mais de um mês, sete denúncias de que várias milícias estão preparando o assassinato do deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL). Presidente da CPI das Milícias, que, em 2008, provocou o indiciamento de 225 pessoas, entre políticos, policiais militares e civis e bombeiros – boa parte do grupo está presa.
No último mês, um documento reservado da Polícia Militar revelava um plano para matar Freixo, que estaria sendo elabaorado pelo ex-cabo da PM Carlos Ary Ribeiro, o Carlão, que fugiu do BEP (Batalhão Especial Prisional) em setembro.

Freixo vai deixar o Brasil amanhã (01) com a família, a convite da Anistia Internacional, o parlamentar vai para a Europa, mas o país de destino e o tempo de permanência no exterior estão sendo mantidos sob sigilo. Em reportagem publicada ontem, no jornal “O GLOBO” revelou a atuação de milicianos em pelo menos 11 estados , segundo dados fornecidos por Ministérios Públicos e Ouvidorias de Polícia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *