Camilla Silva
Foto: Divulgação

Alunos e professores da rede Faetec realizaram, no início da tarde desta quinta-feira (9), mais uma manifestação em frente do Instituto Superior de Educação Professor Aldo Muylaert (Isepam). O trânsito da avenida 28 foi interrompido pelos manifestantes nos dois sentidos. Este é o primeiro ato depois da desocupação do Isepam realizada na última terça (7).

— Nos sentimos muito injustiçados (com a determinação da desocupação), pois nossas pautas ainda não foram completamente atendidas. A juíza de Campos tomou uma medida diferente da do Rio e não podemos nem mesmo fazer uma ocupação parcial — afirmou Lais Simão, representante dos alunos.

A aluna afirma, ainda, que novas manifestações estão por vir.

— Se nossas reivindicações não forem atendidas, faremos mais (manifestações) junto com alunos e servidores de outras escolas.

Os professores e alunos da rede estadual seguem denunciando a falta de professores na unidade, de condições de trabalho e manutenção. A diretora do Sindicato dos Profissionais de Educação da Faetec (SINDPEFAETEC), Victoria Carogio, afirmou que faltam seis professores apenas no 1º segmento do Ensino Fundamental.

Até o momento, a assessoria da secretaria de Educação do Estado não se manifestou.

Desocupação — Até a manhã da última terça, os alunos mantiveram a ocupação. Esse foi o único movimento estudantil que esperou ser comunicado por um oficial de justiça sobre a decisão da juíza Maria Daniella Binato de Castro, titular da Vara da Infância, da Juventude e do Idoso da Comarca de Campos dos Goytacazes, que determinou, na última quinta-feira (2), o prazo de duas horas para que os alunos manifestantes que ocupassem as escolas públicas estaduais do município se retirassem voluntariamente dos prédios.

Greve continua — Mais de mil profissionais de educação da rede estadual do Estado do Rio de Janeiro decidiram em assembleia realizada na manhã dessa quarta-feira (8) que a greve, que foi deflagrada no dia dois de março continua. A Próxima assembleia será dia 16 de junho (quinta), às 10h (local a confirmar). Neste mesmo dia, a categoria participará do Dia Nacional de Luta em Defesa da Educação Pública, com concentração às 15h, na Candelária, e marcha ate a Central do Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *