O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), negou nesta sexta-feira (8) a possibilidade de implantação de rodízio de cinco dias sem água por semana nas regiões abastecidas pelo Sistema Cantareira no período de seca.

“As coisas são tiradas e desinformam a população. O que a Sabesp fez foi o chamado plano de contingência, então, não tem nenhuma hipótese de ter rodizio 5x 2, nada.”, afirmou Alckmin durante evento de saúde e bem estar em um hotel na Zona Sul de São Paulo.

Nesta sexta-feira, o jornal “O Estado de S. Paulo” publicou reportagem que um novo plano da Sabesp voltou a propor o rodízio de 5 x 2. Mas, segundo Alckmin, a situação atual do Sistema Cantareira não sinaliza a necessidade de um rodízio.

“Estamos no melhor momento. Nós tínhamos 5% [do nível do Cantareira] há 60 dias atrás, no comecinho de fevereiro, no Sistema Cantareira. Hoje, temos 20%, sem contar a terceira reserva técnica, que você pode utilizar a qualquer momento, não precisa nem obra, e sem contar a quarta reserva técnica. E nós ainda vamos ter 1 metro cúbico por segundo a mais em maio do Rio Guaió”, disse.

Em janeiro, o diretor da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), Paulo Massato, admitiu que a empresa poderia adotar rodízio de cinco dias sem água por semana se o volume de chuvas não aumentasse no Cantareira. Depois disso, o governador negou uma medida tão drástica no período de estiagem.

Em nota, a Secretaria de Recursos Hídricos informou que as simulações citadas pelo “O Estado de S. Paulo” “não passam de rascunhos de um grupo de trabalho que sequer concluiu suas análises” e que no término das atividades apresentará a proposta ao Comitê da Crise Hídrica e definirá a versão final do plano de contingência unificado entre as cidades da Grande São Paulo. A Sabesp não se manifestou sobre o assunto.

Fonte: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *