Gaeco diz que vai cobrar Corregedoria, por indícios de omissão de policiais.
Admir Strechar está preso na região central no Paraná desde 25 de outubro.

Uma inspeção de rotina encontrou um tablet, dos modelos mais famosos, na cela do presidente afastado da Câmara de Vereadores de Guarapuava, na região central do Paraná, nesta terça-feira (22). Admir Strechar foi preso em flagrante no dia 25 de outubro, suspeito de desviar dinheiro, e está na carceragem especial da 14ª Subdivisão de Policial da cidade. As informações são do promotor de Justiça e coordenador do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) e Guarapuava, Tadeu Augimeri de Goes Lima. Ele não garantiu que o equipamento tinha acesso à internet, mas disse que “aparentemente, sim”. Na última quinta-feira (17), o perfil do vereador no Facebook registrou atividade.

O promotor disse que o Gaeco não vai abrir nova investigação sobre o assunto, mas que vai cobrar da Corregedoria uma resposta satisfatória, porque “é difícil um aparelho desses entrar na cela sem que tenha havido pelo menos omissão dos policiais na revista”.

A prisão em flagrante de Strechar foi convertida em prisão preventiva. Um pedido de habeas corpus foi impetrado, passou pelo juiz local, pela Procuradoria e aguarda julgamento no Tribunal de Justiça. “Como não foi concedida liminar até agora, acreditamos que o habeas corpus será apreciado no mérito”, isto é, não terá decisões temporárias anteriores. Já o afastamento do vereador do cargo é em caráter liminar. No mesmo texto foi suspenso o pagamento de salários a um suposto funcionário fantasma da Câmara. A decisão foi publicada no último dia 4, depois de um pedido feito pelo Ministério Público. Ao todo, seis vereadores e 17 funcionários são investigados.

O que gostaríamos de saber é: como um preso teve acesso a um tablet? Como um preso pode ter tamanha mordomia?

VISITE SEMPRE: http://fabriciolirio.com.br/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *