Várias legendas cogitam candidatura própria na eleição de outubro para a prefeitura de Canpos

O momento é de aprofundar os entendimentos e finalizar as tratativas rumo às convenções que indicarão oficialmente os nomes dos candidatos a prefeito e vereador nas eleições deste ano, em Campos. No momento, há indefinições que deverão ser dissipadas nos próximos dias. Pré-candidatos que esperavam contar com outras forças para formar uma chapa na eleição majoritária já vêem essa possibilidade frustrada. Por outro lado, partidos que esperavam selar uma coligação já não tem a mesma segurança.

No grupo liderado pelo ex-governador Anthony Garotinho, atual secretário de Governo e presidente regional do PR, uma pesquisa interna já está nas ruas de Campos e vai apontar o nome do pré-candidato da Frente Popular Progressista. Entre os pré-candidatos, o verador Paulo Hirano (PR), o vice-prefeito Chicão Oliveira (PR), os vereadores Mauro Silva (PSDB) e Fábio Ribeiro (PR), os secretários Eduardo Crespo e Edilson Peixoto, e Charles Guerreiro.

A Frente conta com 12 partidos e cerca de 300 candidatos a vereador. Além do PR, as outras legendas são o PTB, PSDB, PRTB, PT do B, PHS, PSL, PMB, PSD, PRP, SD e PTC.

Garotinho disse que até o dia 5 de agosto, data-limite para escolha do candidato a prefeito, vice e vereadores, “as peças deverão se movimentar” e novos partidos poderão integrar a coligação liderada pelo PR. A convenção da Frente está marcada para o dia 30 de julho, no ginásio do Automóvel Clube Fluminense.

RAFAEL DINIZ

No PPS, o vereador Rafael Diniz, que alimentava expectativa de ter o colega Gil Vianna (do PSB ) em sua chapa, já traça outros planos. Gil está perto do ex-prefeito Arnaldo Vianna (PEN), que tem várias contas rejeitadas, além de fichado na Lei da Ficha Limpa.

Impedido pela Justiça de concorrer mais uma eleição por condenações, Arnaldo deverá indicar o filho Caio para disputar o pleito pelo PDT.

O PSDC do deputado estadual João Peixoto, é outro que poderá se bandear para uma coligação com o PDT. Peixoto, presidente regional do PSDC, é mais uma pré-candidatura que pode extinta.

PEIXOTO PERTO DE ARNALDO

O parlamentar tem aparecido ao lado do ex-prefeito Arnaldo Vianna em postagens de seus correligionários no Face Book e deve anunciar na ultima semana no mês apoio à pré-candidatura de Caio Vianna, filho de Arnaldo.

No próximo dia 24, às 9 horas, o seu partido de João Peixoto realiza convenção municipal no Ciep Nilo Peçanha, no bairro da Lapa, quando deve anunciar a decisão, juntamente com os nomes dos candidatos à Câmara de Vereadores e ainda avaliação de propostas para coligação nas eleições majoritária e proporcional.

Ao mesmo tempo, Rafael Diniz busca se aproximar do PT, mas há resistência entre os petistas em aderir à pré-candidatura de Diniz em razão do conjunto de forças conservadoras que ele representa na política local.

Aliás, o petista Hélio Anomal confirmou entendimentos com o vereador do PPS e com Caio, mas admite que vai lutar pela candidatura própria. Ele mesmo já se colocou à disposição para a disputa ao Executivo. “Tenho conversado com vários pré-candidatos, mas penso mesmo em colocar meu nome à disposição nesta disputa”, disse.

“A deliberação do diretório nacional para os militantes e dirigentes municipais é de fortalecimento das candidaturas próprias em cidades acima de 200 mil habitantes e de apoio às de candidatos e de partidos aliados contra o golpe do impeachment da presidenta Dilma Rousseff. Defendemos a manutenção da decisão do diretório nacional.

TADEU

Outra pré-candidatura que parece estar perdendo o viço é a de Alexandre Tadeu (PRB). Depois de demonstrar bom fôlego na largada, inclusive com bom desempenho nas pesquisas, as aspirações do vereador sofreram esvaziamento depois que perdeu o apoio da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), trunfo importante na sua eleição na Câmara Municipal. Por outro lado, um ponto considerado positivo para Tadeu foi a escolha do empresário Renê Siqueira,  pessoa influente no meio evangélico, membro da Associação das Igrejas Evangélicas do Município, com penetração tanto na classe empresarial quanto nas camadas populares.

Tadeu tem recebido críticas nas redes sociais pela sua posição dúbia em relação ao governo municipal, de quem já foi aliado. O secretário de Governo do município, Anthony Garotinho, compareceu ao seu programa na TV Record, sem que Tadeu tenha feito questionamento algum ao secretário, inclusive sobre as críticas que tem feito ao governo na tribuna da Câmara.

Até as eleições, o vereador e apresentador de TV Alexandre Tadeu também perdeu seu espaço no programa Balanço Geral, que apresenta na Record, outro instrumento poderoso que tinha mãos e o aproximava dos eleitores. O afastamento se deve em função de proibição pela legislação eleitoral. Assim, Tadeu estaria por compor com Rafael Diniz.

NILDO

Líder da oposição na Câmara, o vereador Nildo Cardoso (DEM) já tem o nome de seu vice, será do DEM. “Temos um candidato a vice dentro do Democratas, mas estamos abertos ao diálogo com outras correntes partidárias”.

PUDIM

Outra candidatura que terá definição nos próximos dias é a do deputado estadual Geraldo Pudim (PMDB), cuja convenção municipal está marcada para o dia 29 de julho, às 18 horas, no Automóvel Clube Fluminense.

Ex-aliado de Garotinho, Pudim agora se aliou ao ex-governador Sérgio Cabral, o governador licenciado Luiz Fernando Pezão, o governador em exercício Francisco Dornelles, Pezão e o presidente da Assembléia legislativa, Jorge Picciani.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *