.

Acidente Não, Segurança Sim!!!!!!!!!

O trabalho é uma atividade própria do homem enquanto ser social e com isso ele busca incessantemente através dos tempos a melhor maneira de realizar as tarefas, atendendo as suas necessidades e aumentando o seu bem estar. Porém, é fato que ao longo de sua história a humanidade tem se deparado com centenas de mortes, doenças e mutilações de operários em ambiente de trabalho. Atualmente, as organizações e o Estado têm um gasto significativo com pagamentos de indenizações e pensões relacionadas com acidentes de trabalho e com as doenças profissionais.

O trabalho seguro e salubre é um dos direitos fundamentais garantidos aos trabalhadores na constituição, artigo 7° alínea XXII “redução dos riscos inerentes ao trabalho, por meio de normas de saúde, higiene e segurança”.

A questão é de interesse dos trabalhadores, dos empregadores, do governo e da sociedade, pois a falta de ambiente laboral seguro pode gerar perdas irreparáveis.

Segundo o Ministério da Previdência Social, em 2009, no Brasil, entre os trabalhadores assegurados da Previdência Social, foram registrados 723.500 mil acidentes e doenças do trabalho. Comparado com 2008 que registrou 756.008 mil casos de acidentes de trabalho o ano de 2009 teve queda de 4,3%. Em 2007 entre os trabalhadores assegurados da Previdência Social, foram registrados 653.090 acidentes e doenças do trabalho. Entre essas ocorrências, registrou-se 20.786 doenças relacionadas ao trabalho e parte destes acidentes e doenças tiveram como conseqüência o afastamento das atividades de 580.592 trabalhadores devido à incapacidade temporária, 8.504 trabalhadores por incapacidade permanente e o óbito de 2.804 cidadãos.

Os acidentes geram elevados custos e prejuízos humanos, sociais e econômicos que custam muito para o país, tendo como conseqüência uma enorme quantidade de pessoas prematuramente mortas ou incapacitadas para o trabalho, atingindo não somente as organizações, mas ao trabalhador e também a sociedade. Para as organizações os acidentes de trabalho podem originar perda social e financeira. Entre os custos mais óbvios estão: as despesas com os primeiros socorros, a destruição de equipamentos e materiais, a substituição e retreinamento de mão-de-obra, a recuperação dos empregados, o tempo perdido, a interrupção da produção, o pagamento de horas extras, os salários pagos aos trabalhadores afastados e os gastos com engenharia de reparação. Para o trabalhador e sua família que comumente sofrem os maiores prejuízos os acidentes podem gerar incapacidade para o trabalho, morte, danos físicos, psíquicos e morais. E para a sociedade, os custos da Previdência Social são altos, considerando os gastos com benefícios, pensões, despesas de recuperação e reintegração no mercado de trabalho.

É importante ressaltar que, apesar de todos os cálculos, o valor da vida humana não pode ser contabilizado, sendo o fator mais importante no conjunto de benefícios alcançados com a adoção de procedimento de Saúde e Segurança no Trabalho. Procedimentos que vão além de prevenir acidentes e doenças reduzem os custos, podem salvar vidas.

Todos na luta pela prevença e segurança no trablaho!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *