Rio Paraíba longe de superar crise hídrica

 

Suzy Monteiro
Foto: Michelle Richa 

Mesmo com as chuvas que caíram, espaçadas, nos últimos dias, continua a previsão de que 2015 será o ano de maior seca da história, superando o anterior. De acordo com o diretor do Comitê do Baixo Paraíba, João Siqueira, prova disso é que os reservatórios ao longo do rio Paraíba continuam a baixar e na quarta-feira (27) estavam em 17% de suas capacidades. No próximo dia 1º, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) que investiga a crise hídrica no Estado e a transposição do Rio Paraíba do Sul fará visita técnica ao Sistema Guandu.

João Siqueira explica que os reservatórios ao longo do Paraíba — Paraibuna, Santa Branca e Jaguari, em São Paulo, e Funil, em Itatiaia, no Rio — começaram a baixar e passaram de 19% para 17% de sua capacidade. Isso significa, diz Siqueira, que a vazão do rio também será reduzida em breve. Atualmente, a vazão autorizada pela Agência Nacional de Águas (ANA) está em 130m³/s. Desses, 42 m³/s seguem a região, enquanto 88 vão para a região metropolitana do Rio e parte da Baixada Fluminense. Com a possível nova redução, a vazão passará para 110 m³/s, com 35 m³/s destinados ao abastecimento da região e o restante para Guandu.

A pouca chuva e a estiagem prolongada não traz apenas falta de água, destaca o ambientalista, mas também comprometimento da existente.

— A qualidade da água está bem ruim em algumas cidades e o perigo é grande para nós aqui da região por causa da pouca vazão. Estamos entrando nos nove meses de déficit hídrico, quando a chuva do período é menor que a água que evapora de lagoas, por exemplo, em função do sol e do vento. Então, é importantíssimo que as pessoas não se esqueçam da seca e construam uma cultura de economizar — destacou o diretor do Comitê.

Deputados visitarão Guandu na segunda

Na próxima segunda-feira, dia 1º, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) que investiga a crise hídrica no Estado e a transposição do Rio Paraíba do Sul visitará o Sistema Guandu. O presidente da CPI, deputado Luiz Paulo (PSDB), lembra que a medida é importante para a continuidade dos trabalhos.

— Se estamos analisando e tentando ter propostas para a crise hídrica é necessário que a comissão conheça o Sistema Guandu, que é o maior do nosso Estado e um dos maiores do mundo. Além disso, sua ampliação completa 50 anos em 2015 — explicou.

O rio Guandu, de pequeno porte em condições naturais, se tornou caudaloso após a transposição do Rio Paraíba, sendo usado para a produção de energia elétrica e uso industrial, hoje, é voltado principalmente para o abastecimento de água da Região Metropolitana. Suas nascentes se localizam na serra do Mar em diversos municípios. Alguns riachos se unem na represa de Ribeirão das Lajes, um dos formadores do rio Guandu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *