Nova diretoria quer resgatar asilo

 

Após eleição no último dia 27, houve mudança na direção do Asilo Monsenhor Severino, em Campos. O novo presidente, Ricardo Araújo, assumiu o asilo no último dia 30. A modificação ocorreu depois de 38 anos com Benedito Marques — também ex-provedor da Santa Casa — à frente da instituição. A informação foi publicada no blog Em Tempo, assinado pelo jornalista Cilênio Tavares na Folha Online. Segundo Araújo, 61 idosos são assistidos pelo Monsenhor Severino.

De acordo com o secretário geral do asilo, Alexandre Monteiro, campanhas e eventos beneficentes serão feitos para arrecadar doações para os idosos e pagar as contas. “Queremos resgatar a credibilidade da instituição. A chapa de Ricardo Araújo saiu vitoriosa na disputa. Os votantes foram presidentes de entidades de classe e clubes de serviço, como Rotary, Lions, Associação Comercial e Industrial de Campos (Acic), Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), Maçonaria e, também, beneméritos, antigos diretores do asilo — explicou, lembrando que a direção anterior não compareceu para fazer a transição dos cargos. “Muita gente estava com desconfiança em contribuir por conta de problemas com a gestão anterior”, disse.

Monteiro ainda lembrou que doações podem ser feitas pelo telefone fixo 2729-4000 ou celular 99838-0133. “Estamos, também, com as portas abertas para receber visitas”, disse, concluindo que “de doações, o que mais precisamos, no momento, é de materiais de limpeza e alimentos”.

A Folha tentou contato na tarde de ontem, por telefone, com o ex-presidente do asilo, Benedito Marques, mas não teve êxito.

Problemas — De acordo com o presidente eleito do Monsenhor Severino, Ricardo Araújo, vários documentos foram encontrados em lixeiras e latões de lixo da instituição. “Encontramos, no asilo, vários problemas como prestação de contas atrasadas, falta de pagamento de funcionários, que estavam cerca de 10 meses sem receber e contracheques não assinados, ainda havia higiene em péssimo estado, medicamentos vencidos, dívidas com fornecedores, entre muitos outros problemas. O asilo, hoje (segunda-feira, 4), não conta com nenhuma verba”, disse o presidente, ressaltando que “nosso objetivo é dar sentido melhor a vida dos idosos. Vamos ajudá-los, pois aqui é um lar”.

Na instituição, os assistidos contaram que houve melhorias, a partir da renovação da diretoria. “Agora estou num lugar bom. Eu não gostava de ficar aqui, porque era muito ruim. Hoje graças a Deus tudo está bem e sou bem tratada. Agora é um lar”, falou a aposentada Floripe Ribeiro de Souza Miranda, 73 anos, moradora do asilo há cerca de dois anos. A também aposentada Zenilda Barbosa, 69 anos, também comentou o atendimento no passado. “Não éramos bem atendidos. A gente não comia direito. Melhorou muito”, disse.

J.H.R.
Foto:  Michelle Richa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *