Maior superlua de 2019: entenda o fenômeno astronômico que ocorre nesta terça

Nesta terça-feira, a lua aparecerá no céu maior e mais iluminada do que o de costume.

Este fenômeno é chamado de “superlua” e ocorre quando a Lua está cheia e no perigeu, o ponto mais próximo da Terra.

O satélite atingirá essa posição às 6h07 no horário de Brasília, mas a Lua só estará completamente cheia a partir das 12h53.

No entanto, só será possível avistar realmente a Lua no Brasil com o pôr do sol, às 19h02. Este período do “nascer da lua” será o melhor do dia para observar a superlua por causa de uma ilusão de ótica.

Neste momento, o satélite parece estar maior por ficar perto do horizonte. Nosso cérebro o percebe desta forma porque há objetos próximos, como edifícios e árvores, com os quais é possível comparar seu tamanho.

Esta será a segunda vez que o fenômeno ocorre neste ano, sendo a maior delas – a primeira ocorreu em 21 de janeiro. E não será a última.

No mês passado, o evento foi chamado de “superlua de sangue”, por conta do tom avermelhado que a Lua adquiriu com a ocorrência simultânea de um eclipse total enquanto o satélite estava no ponto mais próximo da Terra. É um fenômeno muito mais raro do que uma superlua “comum”.

A próxima e última superlua de 2019 está prevista para 21 de março.

O que é uma superlua?

“Superlua” não é um termo oficial da astronomia, que se refere a este fenômeno como “lua cheia perigeana”.

PublicidadeFechar anúncio

O nome “superlua” foi criado em 1979 pelo astrólogo americano Richard Noole para designar “uma Lua nova ou cheia que ocorre quando a Lua chega ou está próxima (pelo menos 90%) de sua maior proximidade da Terra”.

No entanto, o termo se popularizou como uma referência a quando a Lua está cheia nesta posição.

Conforme explica a Nasa, isso ocorre porque o satélite orbita a Terra em uma trajetória elíptica a cada 27,3 dias. Assim, ela se aproxima e se afasta do nosso planeta conforme percorre esse caminho.

O ponto mais longe de nós nesta elipse – a 405.500 quilômetros da Terra em média – é chamado de apogeu. Em contrapartida, ela atinge o perigeu quando chega a 363.300 quilômetros de distância em média.

Mas é importante notar que órbita da Lua muda com o tempo, afirma a Nasa, por conta de influência gravitacional do Sol e de outros planetas. Com isso, mudam também seu apogeu e perigeu. No caso desta superlua, seu perigeu será a 356.760 quilômetros de distância.

Quando uma Lua está cheia e no perigeu, ela aparece 7% maior, por sua proximidade da Terra, e 15% mais brilhante – porque reflete mais luz do Sol para a Terra – do que uma lua cheia normal. E pode ficar até 14% maior e 30% mais brilhante do uma “microlua”, como é chamada uma lua cheia no apogeu.

No entanto, a diferença de tamanho e iluminação na superfície da Terra será “imperceptível a olho nu”, segundo a Nasa.

Um efeito mais simples de ser notado será aquele sobre as marés, diz a agência americana, que serão intensificadas pela maior força gravitacional que a Lua exercerá sobre os oceanos.

https://noticias.r7.com/tecnologia-e-ciencia/maior-superlua-de-2019-entenda-o-fenomeno-astronomico-que-ocorre-nesta-terca-18022019

Nova frente fria deixa estado do Rio em alerta para esta quarta-feira

Uma nova frente fria, que já chegou ao Sul do Brasil e está a caminho do Sudeste, pode trazer novamente mudanças do tempo para a região, de acordo com o Climatempo. A previsão é de que, nesta quarta-feira (13), o Rio de Janeiro seja novamente atingido por fortes chuvas. A Marinha também emitiu um alerta nessa segunda-feira (11). A Secretaria de Educação suspendeu as aulas nesta quarta em todo o Estado. Prefeitura do Rio também comunicou que não haverá aula no período da manhã. O avanço da nova frente fria e o deslocamento de um sistema de baixa pressão atmosférica vão deixar a região em alerta. “As pancadas de chuva, por causa do calor, já poderão ser fortes e ocorrer em mais áreas a partir da tarde desta terça-feira, mas será principalmente na quarta que a chuva virá constante, forte e volumosa. O Grande Rio, a Costa Verde, o estado como um todo pode voltar a enfrentar problemas decorrentes da chuva”, analisaram os meteorologistas do portal Climatempo.A semana ainda terá mais instabilidade, e a previsão indica chuva todos os dias para o estado. Por meio de nota à imprensa, a Marinha informou que a passagem da frente fria poderá provocar ventos fortes, com intensidade de até 60 km/h, que poderão gerar ondas de Sudeste a Sul de até 3 metros. A população deve ficar atenta às orientações da Defesa Civil e aos avisos meteorológicos.Previsão mobiliza Rio — Diante dos alertas emitidos por órgãos da área de meteorologia, a Prefeitura do Rio adotou medidas de prevenção para esta quarta. Escolas da rede municipal funcionarão apenas no turno da manhã. O pedido foi estendido à rede privada.Seguindo a orientação da Defesa Civil do Estado, que recomendou que as pessoas permaneçam em locais seguros e evitem deslocamentos em caso de alagamento, a Secretaria de Estado de Educação vai suspender, nesta quarta-feira (13/2), as aulas em todo o estado. A reposição do conteúdo será feita de acordo com o calendário definido pelas direções das escolas junto com as diretorias regionais, respeitando os 200 dias letivos.De acordo com o jornal O Globo, entre outras medidas, não haverá coleta de lixo durante o temporal, e a Rio Águas abrirá comportas para evitar alagamentos de bairros da Zona Sul. (A.N.)

Atletas da categoria de base do Flamengo morrem em incêndio no Centro de Treinamento

Dez pessoas morreram. Fogo atingiu alojamento das categorias de base do time no Ninho do Urubu, em Vargem Grande, Zona Oeste do Rio. Os mortos ainda não foram identificados. Três adolescentes saíram feridos.

Jovens atletas do Flamengo estão entre os dez mortos em um incêndio em um alojamento no Ninho do Urubu, na Zona Oeste do Rio, no início da manhã desta sexta-feira (8). O Fla-Flu deste sábado, válido pela semifinal da Taça Guanabara, deve ser adiado. O governador Wilson Witzel decretou luto oficial de três dias.

As chamas atingiram as instalações onde dormiam jogadores entre 14 e 17 anos que não residiam no Rio. Ainda não há identificação dos mortos. Os bombeiros chegaram a dizer que todos eram adolescentes, mas não há informações oficiais.

Às 9h50, a polícia chegou ao Ninho do Urubu para fazer a perícia. Um inquérito foi instaurado na 42ª DP (Recreio dos Bandeirantes) para apurar as causas do desastre.

Três adolescentes ficaram feridos, um deles em estado grave, e foram levados para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra:

  1. Cauan Emanuel Gomes Nunes, 14 anos, de Fortaleza (CE);
  2. Francisco Diogo Bento Alves, 15 anos;
  3. Jonathan Cruz Ventura, 15 anos, em estado mais grave.

Às 8h40, Jonathan foi levado às pressas para o centro cirúrgico. Ele sofreu queimaduras em 40% do corpo e será transferido para o Hospital Municipal Pedro II, em Santa Cruz.

Os três feridos são de fora do Rio de Janeiro. Funcionários e médicos do clube estiveram na unidade e a expectativa é de poder transferir os meninos assim que a situação for estabilizada.

Treinos cancelados

De acordo com um funcionário que trabalha no setor administrativo da base do Flamengo, os meninos seriam transferidos do local onde estavam alojados na semana que vem. Segundo ele, a base do clube migrou para onde era o profissional e já estava em processo de mudança.

O funcionário – que preferiu não se identificar – disse ao G1 que, por causa da chuva na noite de quarta-feira, os meninos estavam de folga.

Segundo mães de atletas, o treino cancelado liberou os jovens que moram no Rio para dormir em suas casas. Desta forma, só pernoitaram no alojamento adolescentes que vieram de fora, como Cauan Emanuel.

Caminhão tomba, pega fogo e chamas atingem posto e carros na 28 de Março

Um acidente, no início da manhã desta quarta-feira (30), provocou um incêndio de grandes proporções na avenida 28 de Março, em um posto de combustíveis. Um caminhão tombou, ao fazer a curva no trevo da avenida 28 de Março com avenida Presidente Kennedy, por volta das 5h30. Cinco cilindros de álcool e produtos corrosivos, transportados pelo veículo, pegaram fogo, atingindo 13 carros e duas motos. Os bombeiros foram acionados, e o fogo não atingiu as bombas de combustíveis.Dezesseis militares do Corpo de Bombeiros ainda estão no local, fazendo rescaldo, para evitar que o incêndio seja reiniciado. Foram utilizados 40 litros de água para controlar as chamas. O motorista do veículo, que vinha de Macaé, foi socorrido e levado para o Hospital Ferreira Machado (HFM). No local, testemunhas relataram que o homem saiu lúcido, com um arranhão na perna. Ainda não há informações sobre a causa do acidente.  GCM orienta motoristas — A Guarda Civil Municipal alerta para mudanças no trânsito na região do incêndio. Neste momento, o sistema é de “Pare e Siga”. Confira as alterações:— O motorista que segue da Baixada Campista sentido Centro deve usar preferencialmente a avenida Lourival Martins Beda (paralela à rodovia Campos-Farol), entrar no beco Santo Antônio (estação da Águas do Paraíba), rua Pedro Paulo (primeira à esquerda) e seguir até a Presidente Kennedy, ao lado do Jóquei Clube. Os condutores têm a opção de retornar pela avenida Presidente Kennedy (em frente à rua José Carneiro Terra) até a 28 de Março em direção ao Centro ou seguir pela avenida, acessando o Centro pela rua Caldas Viana (Saldanha Marinho) ou avenida Alberto Lamego (Cepop);— Já os motoristas que seguem pela avenida 28 de Março, no sentido Centro-Jóquei, o acesso a avenida Presidente Kennedy se faz pelo beco Santo Antônio, rua Pedro Paulo (à esquerda);— O trânsito flui normalmente na avenida 28 de Março para os motoristas que seguem em direção à Baixada Campista.

http://www.folha1.com.br/_conteudo/2019/01/geral/1243926-caminhao-tomba-pega-fogo-e-chamas-atingem-posto-e-carros-na-28-de-marco.html

Como foi possível acontecer tudo de novo, apenas três anos após Mariana?

Elevação da barragem a montante é feita com o próprio rejeito, método comum e barato, mas perigoso.
(AP Photo/Andre Penner)

No cenário da tragédia de Brumadinho, a pergunta é inevitável: como foi possível acontecer tudo de novo, tão pouco tempo depois de Mariana? O Fantástico foi buscar respostas em três campos: a economia, a política e a engenharia.

A estrutura que se rompeu em Brumadinho é uma barragem a montante, o mesmo tipo da barragem de Fundão, em Mariana, e de outras que estouraram em Minas Gerais nos últimos 30 anos.

A elevação delas, ou alteamento, é feito com o próprio rejeito, na direção da barragem. Um método mais comum e mais barato, mas perigoso.

Já pelo lado da economia, Minas Gerais enfrenta a pior crise fiscal de sua história. Mas um economista alerta que, apesar das dificuldades em Minas, a Vale, uma empresa internacional, vem tendo bons resultados. Ou seja, não faltam recursos para investir em segurança de barragens.

Segundo o Tribunal de Contas da União, depois do acidente de Mariana, a atual Agência Nacional de Mineração, que fiscaliza o setor, tinha apenas 36 servidores qualificados para monitorar barragens. No Brasil, há 790 barragens de rejeitos da mineração.

No Palácio da Inconfidência, sede da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, depois da tragédia de Mariana, alguns projetos de lei tentaram endurecer as regras para a atividade mineradora no estado, mas nenhum deles foi para a frente.

https://g1.globo.com/fantastico/noticia/2019/01/27/como-foi-possivel-acontecer-tudo-de-novo-apenas-tres-anos-apos-mariana.ghtml

Campos divulga calendário de pagamento do servidor


A secretaria de Gestão Pública da Prefeitura de Campos divulgou no Diário Oficial desta terça-feira o calendário de pagamento dos servidores municipais para o ano de 2019. Os funcionários públicos municipais ativos, aposentados e pensionistas terão os salários depositados no último dia útil do mês. Já os cargos comissionados recebem no 5º dia útil do mês subsequente ao trabalhado. Na portaria, assinada pelo secretário André Oliveira, está previsto também que as datas estabelecidas na publicação possam sofrer alterações, caso ocorra alguma mudança de planejamento por conta da administração pública municipal.De acordo com a Prefeitura de Campos, a data do pagamento do 13º segue o calendário de 2018, que também estabelecia o pagamento para o dia 20 de dezembro. No entanto, nesta data, foi paga a segunda parcela. “Mediante disponibilidade financeira na ocasião, o prefeito Rafael Diniz (PPS) antecipou a primeira parcela do 13º salário, paga no dia 30 de novembro. Isso foi possível graças à gestão responsável e sustentável da atual administração, que vem fazendo a aplicação correta do dinheiro público. Desta forma, está sendo possível estar em dia com o pagamento dos servidores, que também estão tendo os repasses sendo feitos, devidamente, no Previcampos [Instituto de Previdência dos Servidores do Município de Campos] para que possam, no futuro, ter suas aposentadorias garantidas”, informou a administração, por meio de nota.A Prefeitura de Campos encerrou o ano de 2018 em dia com os servidores municipais, tanto com os salários mensais, quanto com o 13º, cenário bem diferente do fim de 2017. Segundo a Prefeitura, “como não houve a devida transição entre a antiga e a atual gestão, em janeiro de 2017, a nova equipe tomou conhecimento da real situação financeira do município, que tinha uma dívida de R$ 2,4 bilhões, que incluía R$ 1,3 bilhão da Venda do Futuro e R$ 180 milhões que tiraram do caixa da Previcampos, dívidas que estão sendo pagas pela atual gestão. Até o ano passado, foram pagos mais de R$ 230 milhões em dívidas do passado — e tudo isso com um orçamento R$ 1 bilhão menor”. 


ARNALDO NETO

http://www.folha1.com.br/_conteudo/2019/01/economia/1243663-campos-divulga-calendario-de-pagamento-do-servidor.html

Em Davos, Moro fala sobre corrupção mas evita comentar caso Queiroz

Ministro da Justiça rejeitou a ideia de que o governo Bolsonaro possa fazer populismo sobre o assunto.


O ministro da Justiça do Brasil, Sergio Moro (ao centro), participa de painel durante o Fórum Econômico Mundial (WEF)
Foto: FABRICE COFFRINI / AFP

O ministro da Justiça do Brasil, Sergio Moro (ao centro), participa de painel durante o Fórum Econômico Mundial (WEF) Foto: FABRICE COFFRINI / AFP

DAVOS, SUÍÇA — O ministro da Justiça, Sergio Moro, rejeitou nesta terça-feira eventual percepção de que o governo Jair Bolsonaro pode fazer populismo sobre corrupção e defendeu um pacto empresarial no Brasil contra subornos. Em sua primeira participação no Fórum de Davos, na sessão sobre como empresas, governos e sociedade civil podem restaurar a integridade e confiança nas lideranças, Moro foi incisivo ao criticar a cultura da corrupção no Brasil.

No debate, o professor suíço Mark Pieth, que participa de ações da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) contra suborno, disse que sentia um certo desconforto com governos populistas que acenam com a bandeira de combate à corrupção e, uma vez eleitos, não fazem nada contra, decepcionando os eleitores. Ele citou como exemplo Silvio Berlusconi, da Itália.

A representante de Transparência Internacional, Delia Ferreira Rubio, acrescentou que “‘populistas tomam a narrativa da corrupção, mas não tem uma agenda real, só o discurso contra a corrupção”. No debate, Moro observou que a situação com Berlusconi era diferente, porque ele sequer respeitava a separação de poderes e estava envolvido em muitos casos.

Caso Queiroz

Mais tarde, ao ser indagado sobre o risco de o governo Bolsonaro ser afetado por investigações em torno de Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flavio Bolsonaro, o ministro foi incisivo.

— O governo tem discurso forte contra a corrupção e vem adotando práticas sobre algo que não foi feito em 30 anos no Brasil, que é não vender posições ministeriais na barganha pelo poder. E nomeou pessoas técnicas. O compromisso do governo é forte contra a corrupção— disse Moro.

Sobre o caso Queiroz, Moro retrucou:

— Não me cabe comentar sobre isso, mas as instituições estão funcionando.

Em sua participação no debate, Moro destacou que o Brasil é um bom exemplo de como a corrupção generalizada mina a confiança. Ele relatou que pagar propinas tinha se tornado um comportamento normal e que os envolvidos costumavam dizer que era a “regra do jogo”. Moro destacou também que o Brasil tem tradição de impunidade contra corrupção. Mas algo mudou no Brasil, segundo ele.

— Mas precisamos de uma reforma geral para reduzir incentivos à corrupção.

Segundo o ministro, setor privado precisa se unir para evitar irregularidades.

— A corrupção generalizada foi ruim não apenas para a confiança pública, como também minou a competição leal no mercado — apontou o ministro. — Empresas pagaram propina para obter vantagens em contratos públicos. O setor público tem grande responsabilidade nisso. E o setor privado deve também se unir para censurar os que tomam passos errados— afirmou.

Moro mencionou iniciativa na Sicília quando um grupo de empresas se uniu para recusar pagamentos à Máfia.

—Talvez algo assim poderia funcionar no Brasil, para assegurar concorrência leal — disse.

Indagado se apresentaria algo nesse sentido, Moro confirmou o interesse em impulsionar “um pacto empresarial contra a corrupção”. Ele ressalvou que pode estimular, pelo discurso, mas não há plano concreto ainda sobre como o governo pode levar a iniciativa adiante.

Participantes do debate em Davos destacaram a importância da tecnologia para denunciar subornos. O sentimento geral é de que a transparência nos setores público e privado é essencial na luta contra a corrupção.

https://oglobo.globo.com/brasil/em-davos-moro-fala-sobre-corrupcao-mas-evita-comentar-caso-queiroz-23391239

COMO O BRASIL LIDA COM OS REFUGIADOS?

Em linhas gerais, o Brasil segue a Convenção de 1951, o principal documento sobre o tema. Estima-se que atualmente o país tenha mais de 8 mil refugiados, segundo dados do Conare. O país é considerado pelo ACNUR como um pioneiro na proteção internacional dos refugiados, sendo o primeiro país do Cone Sul a ratificar a Convenção, em 1960, e a integrar o comitê executivo da organização. Já na legislação interna, temos a Lei 9.747, de 1997, que reafirma as definições da Convenção e garante aos refugiados os mesmos direitos que qualquer outro estrangeiro no países.

O país recebe muitos elogios pelo seu tratamento com os refugiados. A política de portas abertas para os sírios foi mencionada como “uma importante mensagem humanitária e de direitos humanos” por um representante do ACNUR. Além disso, o país conduz importantes programas de reassentamento de refugiados, que é quando um terceiro país acolhe refugiados que foram recusados pelo país acolhedor e que não podem retornar aos países de origem. O ACNUR também aponta que o Brasil é um dos poucos países na América do Sul que dispõe de um programa de reassentamento dirigido especificamente a refugiadas em situação de maior vulnerabilidade. Nos últimos três anos, cerca de 120 mulheres foram reconhecidas como refugiadas ou reassentadas devido a perseguição por motivos de gênero ou por situação de risco.

Ainda assim, falta um plano de ação para lidar com os refugiados sírios após sua chegada no país. Um dos sinais disso é que o governo brasileiro tem cadastrado famílias sírias no programa Bolsa Família, que é originalmente voltado a famílias brasileiras em situação de miséria. Cerca de 400 sírios recebem o auxílio atualmente, segundo o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Cabe à sociedade também acolher essas pessoas e conhecer melhor a situação delas para evitar que sofram preconceitos e discriminação.

…………………………………..

📲 Fique por dentro dos assuntos que estão em foco no Brasil, e que tratam de justiça e igualdade social! Se inscreva no canal do jornalista Fabrício Lírio no Youtube: www.youtube.com/channel/UCpLhu0EoYIK6RL6iUSsopEA

📲 Acesse nosso site: http://fabriciolirio.com.br/

📲 Curta Fabrício Lírio no Facebook: www.facebook.com/liriofabricio

📲 E siga no Insta: https://www.instagram.com/fabricio_lirio_/

 

Saúde Pública atual no Brasil

É preocupante o estado em que se encontra a saúde pública no Brasil, um descaso por parte das autoridades competentes faz com que muitas pessoas sofram na espera de uma consulta e até mesmo medicações.  Muitos pacientes que dependem da saúde pública acabam morrendo em filas de transplantes e até mesmo em corredores por falta de atendimento básico necessário.

Devido aos altos índices de desvio de verbas públicas destinadas para a saúde pública brasileira, muitos acabam se prejudicando e infelizmente é o povo carente que vota em pessoas desleais que prometem muito e não fazem nada. Segundo o ministério da saúde o índice de desempenho do SUS mostrou que o maior problema do país é o acesso ao atendimento, pessoas tem dificuldade de conseguir consultas e até mesmo pronto atendimento em caso de emergências. A nota concedida através de pesquisas foi indicativa entre 0 á 10 e a saúde pública ganhou nota 5,4 segundo pesquisas. Nota que muitas pessoas consideram erradas, pois para que o valor da nota ser merecida o Brasil teria que ter melhorias em todo o país principalmente nas regiões mais pobres.

O nosso país infelizmente é precário em questão de saúde pública, fazendo-se necessárias várias mudanças que o estado não provém para os cidadãos, para que os brasileiros tenham uma vida melhor, com mais expectativas será necessário que todos cumpram seu papel devidamente e que cobrem seus direitos como população, fazendo assim um país melhor para todos.

  • https://blogcamp.com.br/saude-publica-no-brasil-atualmente/

……………………………………

📲 Fique por dentro dos assuntos que estão em foco no Brasil, e que tratam de justiça e igualdade social! Se inscreva no canal do jornalista Fabrício Lírio no Youtube: www.youtube.com/channel/UCpLhu0EoYIK6RL6iUSsopEA

📲 Acesse nosso site: http://fabriciolirio.com.br/

📲 Curta Fabrício Lírio no Facebook: www.facebook.com/liriofabricio

📲 E siga no Insta: www.instagram.com/fab